Jornada Atuarial I

Primeiro dia de Jornada Atuarial FEA-USP em São Paulo. A “Noite dos Cariocas”: três palestrantes, três do Rio de Janeiro. Para quem não sabe, estou em São Paulo para participar da do evento, juntamente com com Leonardo Herrera, colega de atuária da UFRGS. Nos hospedamos numa república de uma colega daqui da USP e ganhamos “de lambuja” uma guia pra se achar na cidade da garoa, onde garoa ainda não vimos, mas sim um calor infernal pra essa época do ano.

O primeiro palestrantes, Alexandre Penner, é atuário e Diretor Técnico da Susep, substituiu o Superintendente da autarquia, Armando Vergílio, que estava no inicialmente programado. Tinha particular vontade de conhecer o Vergílio, mas a palestra do Penner foi uma grata surpresa. As informações e o modo com que ele fez sua apresentação restrinciram minhas anotações a algumas normas que vou ter que pesquisar depois. Resumidamente, Penner tratou do recente papel da Susep, e da atuária no mercado segurador. Palestra muito interessante, bastante voltada aos atuários e com algumas informações privilegiadas, como o ciclo de apresentações sobre a regulamentação das blindagens e a tábua de mortalidade que está sendo construida.

Em seguida, falou o jornalista (sim jornalista!) Henrique Abreu de Oliveira, Diretor-Presidente da Swiss Re, que também particpou da segunda Jornada, em 2007, e segundo o pessoal que participou no ano passado fez uma palestra muito parecida com a de 2007, repetindo também as mesmas piadas. Embora não seja um atuário, Oliverira mostrou muito conhecimento na área, visto a experiência acumulada em mais de 20 anos no IRB e 10 no comando da Swiss Re. Com alguns gráficos em escala logarimica, que nem o próprio sabia interpretar, Oliveira traçou as tendências de fusão entre as atividades de seguro e resseguro, explicou o funcionamento do resseguro e foi categórico ao afirmar que não hávera um centro de resseguro no país, desfazendo, por hora, a richa entre Rio e São Paulo para tal.

Após um cooffe-break, e um triste esvaziamento do evento, falou o sócio da PwC e ex-presidente do IBA, Roberto Westenberg. Westenberg tem uma relação, no mínimo, interessante com a atuária, e que vale um parênteses: engenheiro com mestrado em estatística, conheceu a atuária aos 30 anos. Foi à Inglaterra fazer o doutorado e somente na volta descobriu que só poderia atuar caso tivesse também a graduação na área. Resumo: aos 34 anos, doutor, voltou aos bancos universitários para formar-se atuário.

Westenberg, falou sobre a gênese do atuário tipo 4, Entrepise Risk Mangement e a utilização de processos de Teoria do Risco Coletivo para o e embora faltasse-me um pouco de base estatistica-financeira a palestra foi motivadora, se não, pelo fato de saber que para atingir o conhecimento que ele repassou vai ser necessário “ralar” muito.

Uma resposta a Jornada Atuarial I

  1. Vitor Navarrete diz:

    o.O

    As palestras paulistas são mais interessantes que as que rolam por aquino Ceará.

    Esse post deveria ter saido quarta não?

    Malz por não ter enviado o e-mail mas na correria da semana nem consegui preparar, to fazendo mais coisas que o saudável esse semestre.

    *espero ansioso pela postagem a respeito das conversas estudantis.

    Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: